A AIDS já não é um bicho de sete cabeças

Saúde 3 semanas atrás

Antes de mais nada é importante dizer: a AIDS é uma doença muito séria, entretanto hoje em dia já existe muito tratamento que controla a doença. Há mais de trinta anos surgia o HIV, e junto dele a AIDS, vírus e doença que deixaram o mundo alerta – muito por não encontrarem uma cura. Graças a evolução da medicina e de tratamentos muito mais efetivos, pessoas com HIV positivo levam uma vida normal. Neste 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate à AIDS, o Portal KondZilla tira algumas dúvidas.

– O que é AIDS e HIV? São a mesma coisa?
Como diria o sábio: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. O HIV é um vírus que pode causar a doença AIDS. Portanto, nem todo mundo que tem HIV tem AIDS. A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (nome “de batismo” da AIDS) é uma doença que enfraquece o nosso sistema imunológico, aquele responsável por expulsar as coisas ruins do nosso corpo. Isso faz com que o infectado tenha um metabolismo de defesa mais fraco e fique mais vulnerável a outras doenças que podem levar a morte. Em outras palavras: ninguém morre de AIDS, mas sim de outras doenças que se aproveitam do “sistema de defesa” fraco.

Foto: Divulgação // Ministério da Saúde – DIHV

– Já existe cura pra AIDS/HIV?
Não. Mesmo com todo o avanço da medicina, tanto o vírus HIV, como a doença AIDS, ainda são uma espécie de mistério para medicina. Porém, aquele medo que a galera HIV positivo tinha nos anos 80 e 90, época da epidemia braba da doença, não existe mais. Hoje em dia, o avanço da medicina fez com que os tratamento sejam mais tranquilos e proporcionam uma qualidade de vida melhor para quem contraiu o vírus.

– Qual a melhor forma de tratamento?
Emendando com a outra resposta, quem for soro positivo pode usar medicamentos chamados “antirretrovirais“. De um modo geral é o seguinte: ainda não há  uma forma de eliminar o vírus, então os cientistas estão trabalhando em deixá-lo fraco para não agir no corpo humano.

Como o próprio nome sugere, são remédios que atuando em enfraquecer o vírus. Um vírus fraco não consegue se manifestar no corpo e é possível até que uma pessoa tenha relacionamento sexuais e não transmita o vírus. O mesmo serve para mães grávidas.

Esses novos medicamentos são também menos agressivos ao organismo do que a quimioterapia, fazendo com que os soropositivos levem uma vida bem melhor do que há 10, 20 anos atrás.

Foto: Divulgação // Ministério da Saúde – DIHV

– Qual a melhor forma de prevenir a doença?
Ainda hoje, quando falamos de DST e a AIDS a melhor forma de evitar o contágio do vírus é pelo uso da camisinha nas relações sexuais (de todos os tipos). Não é só pelo sexo que se transmite, evitar agulhas mal cuidadas e usar luvas quando for entrar em contato com fluídos corporais de estranhos é importante também.

– Putz, acho que peguei o vírus HIV. E agora?
Se você teve relação sexual com alguém e ficou com aquela dúvida, a primeira medida é procurar orientação médica. Em postos de saúde, por exemplo, os médicos possuem medicação para controlar o vírus.

A Profilaxia Pós-Exposição – ou PrEP, para os íntimo – é uma espécie de “pílula do dia seguinte” da doença, indicada para pessoas que foram expostas ao risco de contaminação ao vírus. A PEP deve ser tomada em até 72h após o incidente e, se o risco ficar claro, o paciente ingere antirretrovirais por 28 dias. Com essas medidas, você pode evitar o contágio do vírus HIV.

Todavia, a prevenção é a melhor medida. E em caso de dúvida, procure médicos especializados. A doença é um assunto muito sério e ainda requer muita atenção de todo mundo.

– Ok, quero procurar ajuda. Por onde começo?

Procure por  Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), Centros de Referência (CE), e Serviços de Assistência Especializada (SAE). O site da prefeitura de São Paulo tem uma lista com todas as regiões. Vamos listar alguns:

Centro

CTA Henfil (Henrique de Sousa Filho)
R. Libero Badaró, 144 – Centro | Tel.: 3241-2224

SAE DST/AIDS Campos Elíseos
Al. Cleveland, 374 – Santa Cecília | Tel.: 3331-1216

Região Oeste

SAE DST/AIDS Butantã
Av. Corifeu de Azevedo Marques, 3596 – Butantã | Tel.: 3765-1692

SAE Paulo César Bonfim/Lapa
R. Thomé de Souza, 30 – Lapa | Tel.: 3832-2551

Região Leste

CTA Cidade Tiradentes
R. Luís Bordese, 96 – Cidade Tiradentes | Tel.: 2282-7055

CTA São Mateus
Av. Mateo Bei, 838 – São Mateus | Tel.: 2919-0697

CTA Guaianases
R. Centralina, 168 – Guaianases | Tel.: 2554-5312

SAE Fidélis Ribeiro
R. Peixoto, 100 – Vila Fidélis Ribeiro | Tel.: 2621-4753

Região Norte

CR Nossa Senhora do Ó
Av. Itaberaba, 1377 – Freguesia do Ó | Tel.: 3975-9473

CTA Pirituba
Av. Dr. Felipe Pinel, 12 – Pirituba | Tel.: 3974-8569

SAE Marcos Lottenberg – Santana
R. Dr Luís Lustosa da Silva, 339 – Mandaqui | Tel.: 2950-9217

Região Sudeste

SAE Dr. Alexandre Kalil Yazbeck (SAE Ceci)
Av. Ceci, 2.235 – Jabaquara | Tel.: 2276-9719

SAE Vila Prudente
Pç. Centenário de Vila Prudente, 108 – Vila Prudente | Tel.: 2061-7836

CR Penha
Pç. Nossa Senhora da Penha, 55 – Penha | Tel.: 2092-4020

SAE Herbert de Souza – Betinho
Av. Arquiteto Vilanova Artigas , 515 – Sapopemba | Tel.: 2704-3341

CTA Mooca (UBS Mooca)
R.Taquari, 549 (salas 9 e 10) – Mooca | Tel.: 2694-3338

Região Sul

CR Santo Amaro
R. Carlos Gomes, 695 – Santo Amaro | Tel.: 5524-3032

CTA Parque Ipê
R. Francisco Antunes Meira, 255 – Parque Ipê | 5842-8962

SAE M’Boi Mirim
R. Deocleciano de Oliveira Filho, 641 – Jd. São Luís | Tel.: 5515-6207

 

Confira também um vídeo com depoimentos sobre o HIV:

Leia também:

Se liga no papo: Outubro Rosa é importante sim!

Novembro Azul adverte: o homem também deve cuidar da saúde

Autor:
Redação

Comentários