Aprender uma profissão é só na faculdade?

Juventude 3 semanas atrás

Foto por: João Victor / Desenrola e Não Me Enrola

Tá perto dos 18 anos e não sabe se vai fazer uma faculdade ou trabalhar? Talvez minha história te ajude a decidir. Me chamo Jeferson Delgado, tenho 19 anos, sou cria do Jardim Rosana, Zona Sul de São Paulo, e vou contar pro Portal KondZilla um pouco sobre minha vida com estudos, como um curso pode te ajudar na carreira profissional (aliás, vou te dar uma dica valiosa para inscrição no curso Você Repórter da Periferia) e minhas experiências no jornalismo.

Minha relação com faculdade nunca foi das melhores. Primeiro porque eu nunca gostei tanto de estudar. Depois de muito tempo fui entender que o culpado talvez não era eu, e sim o sistema de ensino do país, que acaba com alunos desinteressados na vida escolar e eu, definitivamente, fui (mais) um deles. Como todo estudante de quebrada, ao chegar no ensino médio, começa aquela famosa conversa de qual universidade você irá ou qual graduação vai escolher. Porém, quando o papo chegava em mim, eu nunca sabia o que dizer, nunca tive uma escolha definida. Principalmente por não me ver dentro de uma sala de faculdade.

Outra parada que faz sua mente balançar é o mercado de trabalho. Comecei a trampar desde cedo – aos 13 anos, pra ser mais preciso -, e ter um salário te faz evitar pensar em faculdade, porque a linha de raciocínio é simples: você ter uma grana razoável para sua idade sem precisar estudar para conseguir esse dinheiro, é melhor do que estudar para ter um salário. Por isso muitos adolescentes abandonam os estudos para apenas trabalhar.

Em meio a grande dúvida sobre como construir meu futuro sem entrar numa faculdade, mas trabalhando e ganhando dinheiro pra pagar as contas e também gastar com as minhas paradas, surgiu uma luz no fim do túnel. Em fevereiro de 2017, uma amiga minha me marcou em uma publicação sobre um curso de jornalismo que durava 10 meses e os alunos recebiam uma bolsa-auxílio. Não pensei duas vezes em me inscrever. Confesso que no início foi por conta da bolsa-auxílio, meus outros trampos paralelos já não estavam vingando tanto e precisava de uma grana fixa. Pra entrar no curso, você tinha que gostar bastante de jornalismo ou ter algum projeto ligado a área de comunicação. Na época eu já tinha lançado alguns vídeos do canal Favela Business. Foi nesse momento percebi que eu já praticava jornalismo, com as entrevistas e apuração do canal, isso tudo sem nunca ter pisado numa faculdade.

Uma boa opção pra quem quer seguir esse caminho, é o curso Você Repórter da Periferia, que forma comunicadores e está com inscrições abertas para uma nova turma. Hoje, com a revolução trazida pela internet, se comunicar não é mais aquela fita engessada do século passado. A mudança ocorreu no fato das pessoas, que antes só ouviam (quando muito), agora também podem falar.

desenrolaenaomeenrola
Foto por: Divulgação // Desenrola E Não Me Enrola

Rumo a 5ª edição, o curso Você “Repórter da Periferia” iniciou suas atividades em 2014, pelo coletivo de comunicação Desenrola E Não Me Enrola. Na época, os cursos eram fornecidos com oficinas teóricas e práticas com objetivo de difundir a informação. Essas são as melhores práticas educativas, proporcionar interatividade por meio das ferramentas digitais. Dessa forma, os alunos acabam divulgando a cena cultural da periferia por meio de reportagens produzidas pelos próprios jovens. O projeto produz conteúdos através de diversas oficinas práticas e teóricas de comunicação, fotografia, fotojornalismo, jornalismo cultural, técnicas de entrevista, vídeo reportagem e filmagem. Parece que não, mas existem uma infinidade de formatos pra gente conseguir se comunicar.

Todas as edições dos cursos, são marcadas pela questão da identidade – que busca o reconhecimento do jovens em seu território ou até em outro. Pensando a partir das comunidades. o projeto visa construções de narrativas com base em nossas vivências, quem somos e o que queremos mostrar pro mundo. Afinal, não tem pessoa melhor para falar da quebrada, além das pessoas que moram na quebrada. Sou prova disso.

desenrolaenaomeenrola1
Foto por: Divulgação // Desenrola E Não Me Enrola

Para se inscrever é bem simples, precisa ter entre 16 e 25 anos, ser estudante do ensino médio e/ou ser estudante universitário do 1º ano ensino superior. Acesse o formulário de inscrições para ter todas as informações. Lembrando que as inscrições vão até dia 22 de maio (não vai ficar moscando, hein).

Bom, dito isso, espero que esse papo te ajude. Na época em que fiz o curso, eu andava aflito sobre meu futuro e isso me faz perceber o peso e a cobrança que o assunto de ‘entrar na universidade’ trás para nós. Quando se trata de jovens periféricos, as opções são poucas, mas cursos como a Escola de Jornalismo da Énóis e Você Repórter da Periferia mudaram o jogo e ajudam jovens como eu (que optaram por não entrar na universidade logo após o colegial) a terem uma formação e a entrar no mercado de trabalho de forma qualificada. Esse conhecimento me permite a concorrer com pessoas que também estudaram e fazem o mesmo trabalho com o mesmo potencial. Um diploma não é a única forma qualificar uma pessoa. Sou a prova viva disso.

Para mais informações do curso, acesse: Site // Youtube // Facebook

Leia também:
Fiz 18 anos: devo trabalhar ou estudar? Os dilemas do jovem de periferia
Escola de Jornalismo abre inscrições para turma de 2018

*Jeferson é formado pela escola Énois, produz conteúdo voltado à periferia em seu canal do Youtube e quando tá livre, faz fotos do NGKS.

Comentários