Da Baixada e aos 16, MC Andrewzinho projeta uma carreira duradoura

Música 2017/09/19

Cantar funk é um sonho para muitas crianças das periferias, mas com a concorrência aumentando faz com que chegar no topo se torne algo cada vez mais difícil de ser alcançado. Andrew Fernandes dos Santos Lisboa, 16, o MC Andrewzinho é um exemplo de maturidade pra molecada que está começando. Uma das principais revelações do funk da Baixada Santista, o MC canta os sucessos “Meteorologia“, “Já Tá na Hora“, “Amizade Colorida” (com direito a participação da Tati Zaqui) e “Manda um Beijo Daqui“, que já bateu a marca de um milhão de visualizações no YouTube. Encontramos com o MC no estúdio da KondZilla Records e o Portal KondZilla aproveita para contar sua história e sacar: como é estar realizando seu sonho de ser MC.

Nascido na comunidade do Dale Coutinho, em Santos – berço também dos MCs Careca e Felipe Boladão -, Andrewzinho começou a carreira de cantor ainda quando criança. A admiração pelos artistas do seu bairro influenciaram bastante na vida do garoto, tanto que ele conta, inclusive, que foi o MC Careca um dos caras que incentivaram ele a entrar na música.

5

“Eu conhecia o Careca, ele era o principal símbolo [de sucesso] daquela época e me chamava sempre para cantar, só que eu tinha muita vergonha”, conta o MC de forma saudosa. “Daí, aconteceu aquela fatalidade e eu decidi começar a cantar por brincadeira no meu quarto e gravei uns vídeos. Meu tio sugeriu de eu levar a sério essa parada, e eu embarquei. De início, cantava putaria, algo meio fora da curva”, explica.

Desde o início, com 12 anos, Andrewzinho chamava a atenção pelo talento. Aos poucos, o garoto foi perdendo a vergonha dos palcos e foi deslanchando na carreira.

Porém, a idade era um problema na época. O cantor teve que superar o medo dos pais em vê-lo cantar funk noites adentro. Isso porque, o MC Careca, MC Felipe Boladão e outros dois MCs da Baixada Santista foram assassinados entre 2010 e 2012. Obviamente, os pais de Andrewzinho não enxergavam aquela carreira como a mais segura do mundo e se dividiam entre apoiar e passar a visão da situação ao Andrew.

2

“No começo, minha família tinha muito medo, muito por conta de tudo o que aconteceu. Mas eles foram se acostumando, até porque esse sempre foi meu sonho”, explica o jovem. “Depois de tirar esse medo, meus pais foram fundamentais pra mim, sempre incentivando, dando todo o suporte”, finaliza.

Ser da Baixada Santista pode ser considerado um privilégio para alguns, como também uma responsabilidade gigante para outros. Conhecida por ser o berço do funk no estado, a região já apresentou artistas de nome que continuam na ativa, tais como: MC Neguinho do Kaxeta, MC Boy do Charmes, Danilo Fabinho entre vários outros. E mesmo com todas indas e vindas do movimento do funk, a região segue revelando novos talentos como o próprio Andrewzinho e a MC Rita (já falamos dela neste texto aqui), ambos ainda adolescentes e que já chamam a atenção.

Se a barreira dos pais já estava ultrapassada, Andrewzinho ainda precisava mudar outro problema da carreira. Foi daí que decidiu parar com a putaria e ir além, projetando uma carreira de MC. Mesmo adolescente, ele já tinha essa visão de futuro e da caminhada que deseja seguir no mundo da música.

“Isso [putaria] tem seu momento, e não queria isso pra minha carreira ou ‘ser alguém de momento'”, esclarece o MC-mirim. “Pensei em mudar e vi que deu certo. A música da minha vida é ‘Amizade Colorida‘, que mostra a pegada que eu quero levar hoje em dia”, trabalho realizado em parceria com a MC Tati Zaqui.

E imagina que loco, você MC, com música estourada por aí, e indo para escola, galera toda em cima, alguns até pedindo autógrafo, foto e ainda nem completou 18 anos. Deve ser daora, né?!

“O pessoal da escola, de começo, meio que se impressiona, mas é normal e eles acabam se acostumando”, diz o MC. “Um dia que marcou pra mim, foi quando eu fui no shopping e rolou um tumulto, pessoal pedindo pra tirar foto. Daí tive a certeza que tinha que cair de cabeça na música”, finaliza.

3

O cantor está imerso numa safra de MCs jovens. Esses artistas começaram a carreira bem cedo e foram escalando o sucesso quando muitos pensam apenas em empinar pipa e jogar bola. Andrew explica que o esforço vale a pena, e dá uma dica importante pra quem pensa em seguir atrás do sonho de ser MC: “Nada vem fácil, você tem que acreditar no seu talento e não desistir”.

Atualmente, o sonho de ser MC está presente na mente das crianças de quebrada, dividindo espaço com o sonho de ser jogador de futebol. Fazer sucesso subindo nos palcos pelo Brasil cantando funk não é uma caminhada nada fácil, e Andrewzinho é um exemplo de que se você tem foco, tudo é possível.

Acompanhe o cantor pelas redes: Facebook // Instagram.

Leia Também:

Neguinho do Kaxeta leva a quebrada que nasceu no nome e no coração

Já ouviu falar na MC Rita? A cantora mirim deu o papo

DJ Baphafinha é a enciclopédia do funk da Baixada Santista

Comentários