Os sucessos do funk cantados por elas

Música 08/03/2018

Para celebrar o Dia internacional da Mulher, separamos uma série de textos para apresentar histórias inspiradoras de mulheres na música. Dentre os diversos movimentos, o funk é um em que a mulher esteve sempre presente e a cada dia que passa conquista cada vez mais o seu lugar. Se liga na seleção de MCs que o Portal KondZilla separou:

#MC Rita
Santista, MC Rita é uma das mais novas sensações no mundo do funk consciente. Ela tem 17 anos de muita maturidade e visão. Entrou no mundo do funk cantando “Meiga”, música composta especialmente pra ela pelo compositor 2N. Além dessa, Rita de Cássia da Silva Nascimento canta “Não Era Amor“, com 350 mil visualizações, e “Hoje Tá De Volta“, com 805 mil visualizações. O sucesso de MC Rita é explicado por sua voz e também pela diferença de tema em suas letras, a maioria delas fala sobre empoderamento e lugar da mulher no funk e na realidade em que ela vive, algo muito abordado fora do funk.

#MC Mirella
Mirella Sierra, 20, é dona de vários sucessos no mundo do funk. Uma da mais famosas e divertidas, Mirella fez em parceria com sua amiga MC Bella, “Te Amo Piranha“, que alcançou 53 milhões de visualizações. Outros trabalhos da cantora são: “Ela Não É Santa“, 20mi, com participação do MC Delano e “Cansei Vacilão” (15 milhões de visualizações).

#Tati Zaqui
Tati Zaqui é o “codinome” de Tatiane Zaqui Ferreira da Silva, 24, que se lançou no mundo do funk com “Parara Tibum”, aquela música parecida com a branca de neve. Ela é de São Caetano do Sul, SP, e logo após seu primeiro single, lançou o funketon,Água na Boca” (69 mi visualizações), e sua última música lançada é “Placa no Chão“, com 16 mi. A moça dos cabelos azuis tem uma personalidade despojada e se lançou no mundo do funk depois de uma homenagem ao MC Kauan – que inclusive é noiva dele agora.

#MC Bella
A MC Bella já apareceu por aqui e, inclusive, tem uma opinião muito boa sobre mulheres no funk: “tem muita mulher no funk, mas elas não têm oportunidade”. Isabella tem 21 anos, é de Itanhém, BA, e tem várias músicas estouradas, tipo “Arlequina” (158 milhões de visualizações), “Envolvida“, com 150 mil e uma música em conjunto com a MC Rita, “Clã do Bumbum“, 795 mil. Bella sempre teve contato com música, mas se apaixonou pelo funk ao chegar em São Paulo, depois de cantar uma versão light de uma música do MC Magrinho. Aí sim sua carreira como MC começou, fazendo parcerias com MC Gui (videoclipe com 20 mi de visualizações) e também com o grupo Pollo (15 mi). A mais recente, como falamos logo acima, é com sua melhor amiga a MC Mirella (53 mi de visualizações).

#MC Pocahontas
“Mulher do poder assim que eu sou conhecida” é o refrão que estourou Viviane de Queiroz, 23, a MC Pocahontas, com a música “Mulher do Poder” (605 mil visualizações). Carioca, ela já é conhecida na cena, e até o rapper americano Future já usou sua voz na música “Fresh Air“. Suas principais músicas de trabalho são: “Nois Tira Onda“, “Chamando Seu Nome” e atualmente a parceria com Dani Russo e Naiara Azevedo “Oh Quem Voltou“, com 18 milhões de visualizações, além de “Pa & Browse” com o DJ Tubarão (2mi).

BÔNUS:

#Valesca Popozuda
Valesca Popozuda é o nome artístico de Valesca Reis Santos, 39, uma das mais antigas no funk carioca e ex vocalista do grupo Gaiola das Popozudas, com sucessos como “Late Que Eu To Passando” e “Agora Eu Sou Solteira“. Considerada a “Rainha do Funk”, ela se lançou em carreira solo com a música “Beijinho no Ombro” e “Eu Sou A Diva Que Você Quer Copiar” com 13 mi de visualizações. Valesca é um ícone no movimento LGBT e uma das primeiras a quebrar alguns preconceitos em relação a mulher no funk.

Acompanhe as artistas nas redes:

MC Bella – Instagram // Facebook

MC Rita – Facebook // Instagram

Tati Zaqui – Instagram // Facebook

Pocahontas – Instagram // Facebook

Valesca – Instagram // Facebook

Leia mais:
O mundo é delas, inclusive o mundo dos videoclipes
Se liga no papo: Outubro Rosa é importante sim!
Iasmin Turbininha promove a renovação do funk carioca
“Rimas & Melodias” se inspira na Elza Soares para música nova

Comentários