Um olhar de fora sobre o baile funk: podcast retrata a evolução musical do movimento

Música 2017/06/01

O baile funk é uma cultura musical que surgiu nas favelas do Rio de Janeiro e que se espalhou pelo Brasil e pelo mundo. Não é mais novidade para o público ouvir músicas do funk (carioca ou paulista) em apresentações de DJs internacionais. Aliás, o baile funk é visto ao redor do globo como uma das vertentes de música eletrônica brasileira. E justamente por isso, é comum ver DJs de fora retratando esse cenário no guarda-chuva da música periférica global, que engloba também o: Kuduro, a Cumbia, o Tecnobrega, o Zouk, Tarraxo entre outros). Em exata uma hora de mixtape, o DJ francês King DouDou retrata a evolução sonora do funk nos seus diversos movimentos e você confere tudo isso aqui, no Portal KondZilla.

O produtor e DJ francês King Doudou (que também leva o codinome Douster) gravou um set para a rádio digital LYL de quase uma hora, retratando a evolução musical do baile funk: desde os anos 2000, quando foi introduzido ao mundo, até os dias de hoje, com a vertente da putaria paulistana em alta. O produtor apresenta, de uma forma didática, a sonoridade do movimento enquanto estava no Rio de Janeiro, passando pela Baixada Santista, depois chegando na capital de São Paulo como Funk Ostentação, o momento em que o beatbox da batida carioca surgiu no movimento – pela voz do Mr.Catra -, retrata as musicas do passinho do romano e finaliza com o momento atual da putaria, com MCs e produtores paulistanos.

A curadoria está muito bem feita, colocando artistas importantes para o movimento. Do Rio de Janeiro temos: Deize Tigrona, Dennis DJ, Jonatham da Nova Geração, MC Jack e Chocolate, Os Tchutchucos entre outros. Da Baixada e Ostentação: Jorginho e Daniel, Juninho e Xandinho, BackDi e Bio G3, Boy do Charmes, MC Guimê, MC Daleste entre outros. E do momento atual, MC Brinquedo, MC Don Juan e LB, MC 2K, Mano DJ, MC Pikachu, Fióti e o queridinho da galera de fora, MC Bin Laden.

Como nem tudo é perfeito, em alguns momentos o dj fala em francês, mas isso não chega a atrapalhar os momentos de mixagem do DJ e a trajetória musical.

Autor:
Redação

Comentários