A 2ª edição do “Prato Firmeza” tá coisa fina

Juventude 28/08/2018

Foto por: Guilherme Petro // Prato Firmeza

O guia gastronômico provou que nas periferias de São Paulo têm lugares bons e baratos para comer, chegou a sua segunda edição. Feito por 10 jovens das periferias da capital que se formaram em jornalismo pela ÉNóis, o Prato Firmeza é um guia gastronômico que une bares, restaurantes, lanchonete e trailers da cidade em um único livro. Os empreendedores não precisam pagar nenhuma taxa para estar no guia, basta ter uma boa história, um ótimo atendimento e mais uma grande novidade nessa segunda edição. Vem com o Portal Kondzilla saber as novidades dessa segunda edição.


Foto por: Guilherme Petro // Prato Firmeza

O Prato Firmeza é o guia gastronômico das quebradas. O livro ganhou destaque por explorar pontos da cidade onde as mídias tradicionais não abordavam e, em apenas dois meses, o guia mapeou de forma ampla os empreendedores gastronômicos das periferias. A primeira edição do guia, lançada em 2017, balançou tanto o cenário gastronômico que conquistou o 6º lugar no Prêmio Jabuti – maior premiação literária do país. Além disso, ganharam o título de Menção Honrosa no 20º Troféu São Paulo Capital da Gastronomia na categoria Guia Impresso ou Eletrônico.

Um dos critérios para entrar no guia, além de ter uma boa história e um ótimo atendimento, é que o estabelecimento deve ter um cuidado com alimentos ultraprocessados, ou seja, se uma lanchonete tiver no cardápio muitos lanches com hambúrgueres industrializados, batata frita e maioneses compradas em supermercado, não rola entrar. A ideia é ver o trabalho manual de cada lugar.

Os jornalistas que apuraram essa segunda edição tiveram cuidado redobrado com a saúde dos leitores, optando por colocar no guia estabelecimentos que visavam isso também. No caso das lanchonetes, as que tinham maionese e hambúrgueres artesanais tinham a preferência.

#PratoFirmeza | Hambúrgueres e cervejas artesanais com preço bacana, música ao vivo todos os dias, grafites por todas as paredes e cultura urbana espalhada por todos os cantos da @casadaarvorebar. Pirituba City tem um dos points mais legais da cidade para curtir com os amigos <3 (E a partir de agora, todos os outros 40 textos do guia impresso contam com uma versão em áudio para deficientes visuais no nosso site! :))

A post shared by Prato Firmeza (@pratofirmeza) on

A segunda edição do guia saiu no mês de agosto e tem 36 restaurantes selecionados pelos jovens escritores. O que não falta é variedade de lugares do guia para visitar. Agora, iremos te recomendar um estabelecimento de região da cidade, quem sabe não tem um lugar pertinho da sua quebrada hein?! Se liga só.

#Zona Sul: Akemi Açai


Foto por: Jeferson Delgado // Prato Firmeza

Localizado na Estrada do M’Boi Mirim, 2667, a hamburgueria nasceu com a ideia de deslocamento. Tipo…. Há algum tempo só existiam hamburguerias da ponte pra lá, ou seja, você precisava se deslocar da sua quebrada até a região central da cidade para comer um hambúrguer artesanal. Alex, o proprietário, percebeu que isso não era certo e então abriu uma hamburgueria na quebrada pra galera não precisar gastar tanto tempo no transporte público. A decoração fica por conta do próprio dono, que é grafiteiro de mão cheia e tem vários muros assinados pelo bairro.

#Zona Oeste: Night Burguers


Foto por: Jeferson Delgado // Prato Firmeza

Você que curte a noite, chega do rolê e percebe não tem nenhum lugar aberto pra bater uma boquinha, tenho uma dica boa. Na Zona Oeste, mais precisamente Jd. Jaqueline,existe o “Night Burguers” um trailer de lanches noturno, com um cardápio de dar água na boca. Carla Pamella é a proprietária do estabelecimento e prepara tudo com maior carinho possível. Então já sabe: chegou do jet com fome? Encosta no Night Burguers!

#Zona Leste: Bar do Gueto


Foto por: Mel Oyá // Prato Firmeza

E quem disse que comida não tem a ver com religião, hein? Tia Alaíde, como é conhecida na sua quebrada no Jardim Alzira, faz uma comida tão gostosa que une evangélicos e adeptos do candomblé. A parada é basicamente a seguinte: todo ano ela faz uma festa em homenagem a São Cosme e São Damião, embora seja uma festa para adeptos do candomblé, vem os parentes dela que são cristãos-protestantes vêm comer da sua comida, até a galera que frequentam as igrejas na mesma rua do humilde barzinho. O bar do gueto abre de terça a quinta-feira, das 9h30 até as 23h, e de sexta a domingo, das 18h à 0h. Então descola um tempo na sua agenda e encosta lá pra comer uma comida de uma baiana de mão cheia.

#Zona Norte: Sem Conservadores

Foto por: Eduardo Araujo // Prato Firmeza

Cris, proprietária do Sem Conservadores, tem uma história muito louca: é formada em nutrição pela Universidade Federal de Pernambuco e cozinhar nunca foi seu ponto positivo. Mas conforme foi entendendo sobre alimentação com a graduação, percebeu o monte de besteira que comemos diariamente. O Sem Conservadores surgiu em 2017, quando Cris estava desempregada. Ela atende seus clientes nas saídas do metrô da cidade e o cardápio é vegano, na lista temos o grande destaque, o estrogonofe de berinjela com leite de aveia feito em casa para substituir o creme de leite, algo muito bacana é o “pague quanto acha que vale”, que é lançado a cada 3 meses para produtos novos.

#Região Metropolitana – Esfihas Dozza

Foto por: Raphael Guimarães // Prato Firmeza

“Porra, mas esses caras da KondZilla só falam do Centro, e a região metropolitana?!”. Fica calmo aê meu jovem que estamos ligadões em geral que acessa o Portal KondZilla. A região metropolitana é composta por diversos municípios ao redor da grande SP, muita gente que trampa aqui é de lá também. Por conta disso, separamos a região de Osasco (Salve MC Menor MR).

Inaugurado em 1956, pelo senhor Dozza e a senhora Isabel, casal de imigrantes armênios, a lanchonete era um lugar tradicional e familiar, com cozinha aberta e salgados típicos da cultura dos donos. Nos anos 2000, com o falecimento dos fundadores, todos os parentes mais próximos de seu Dozza e Isabel assumiram o estabelecimento e fizeram o negócio crescer, passando de uma simples lanchonete árabe para um tradicional restaurante. Então, se você curtir uma esfiha ou até mesmo aquele kibe suculento, só encostar e se esbaldar.

Bom meus amigos, eu poderia (e gostaria) passar a tarde aqui listando esses rangos topzeras – já que as fotos já estão incríveis. Vou deixar o site aqui pra vocês conhecerem mais. Espero que a ideia do Prato Firmeza te estimule a conhecer novos paladares ou abrir o seu próprio negócio. Valeu, abraços.

Acompanhe o Prato Firmeza pelas redes sociais:
Facebook // Instagram // Site

Acompanhe a Énóis pelas redes sociais:
Facebook // Instagram // Site // Twiter // Youtube

Acompanhe a Kondzilla pelas redes sociais:
Facebook // Instagram // Twitter // Youtube

Leia também:
Escola de Jornalismo abre inscrições para turma de 2018
O projeto “Criando Criadores” forma agentes culturais na quebrada

Comentários