Artista cria “Turma do Morro”, a Turma da Mônica da quebrada

Comportamento 2 semanas atrás

Parece que ta virando febre entre os cartunistas brasileiros, retratarem com outros traços artistas já conhecidos da nossa cultura. Já falamos aqui da dupla Load e Laud com seus super-heróis do rap, agora, Gabriel Jardim traz uma releitura da famosa turminha do bairro limoeiro, a Turma da Mônica. Inspirado em artistas de funk, o artista apresenta como poderia ser a turminha se Maurício de Souza se inspirasse na geração atual. Confira:

View this post on Instagram

Monicat #digitalpaiting #digitalart #turmadamonica #turmadomorro #monica #funk #funkeira #favela

A post shared by Gabriel Jardim (@ogabrieljardim) on

Antes de saber sobre essa nova versão é bom relembrar sobre a história da Turma da Mônica. É uma série de histórias em quadrinhos criada pelo cartunista Mauricio de Sousa, a série foi originada em 1959 em uma série de tirinhas de jornal, na qual os personagens principais eram Bidu e Franjinha, a partir dos anos 1960, a série começou a ganhar a cara mais atual que vemos hoje com a criação de Mônica e Cebolinha, entre 1960 e 1963, que passaram a ser os protagonistas.

View this post on Instagram

DJ Cebola #digitalpaiting #digitalart #turmadamonica #turmadomorro #cebolinha #funk #funkeiro #favela

A post shared by Gabriel Jardim (@ogabrieljardim) on

O responsável pela criação da versão mais chave da Turma da Mônica foi o paraibano Gabriel Jardim, um jovem de 24 anos, que mora no bairro de Castelo branco em João Pessoa. A inspiração veio de outros cartunistas, um deles já falamos aqui no Portal. “A ideia surgiu porque acompanho o desenhista Gabriel Picolo, ele faz desenhos do jovens titãs casualmente no dia a dia.Outra referência veio de um cara que fala de quadrinhos e movimento Hip Hop, o Load e Loud que fizeram rappers sendo super heróis. Aí pensei: por que não fazer a turma da Mônica com a cultura funk, cultura de morro, porque são dois maiores ícones do Brasil, culturalmente e em quadrinhos?!”.

View this post on Instagram

Maga Li #digitalpaiting #digitalart #turmadamonica #magali #turmadomorro #funk #funkeira #favela

A post shared by Gabriel Jardim (@ogabrieljardim) on

Gabriel quis mostrar como seriam os personagens se fossem da periferia, pensando em suas vestimentas, o jeito, a profissão, esse lifestyle de quebrada. A referência dos 4 primeiros personagens lançados vem do funk e do rap: Cascão foi inspirado no MC Guimê, Magali foi na MC Pocahontas, Cebolinha foi no DJ Kalfani e a Mônica foi inspirada na Anitta, “A ideia é trazer representatividade, mostrar como seria a vida deles no morro, é basicamente explorar esse lado”.

View this post on Instagram

MC Cascão #digitalpaiting #digitalart #turmadamonica #cascao #funk #funkeiro #favela #turmadomorro

A post shared by Gabriel Jardim (@ogabrieljardim) on

Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão foram os escolhidos para serem os primeiros a ganhar essa versão mais favela, porém, o artista diz que podemos esperar mais alguns. “Eu quero fazer outros personagens, mas a principio vou trabalhar focado nesses quatros, estou produzindo uma segunda leva para esses personagens, eu já tenho duas criações na cabeça que ao longo da semana irei fazer, mas tenho sim vontade de criar outros personagens”.

E você já pensou em criar um versão de um quadrinho muito famoso com base em alguma vivencia, essa pode ser a referência que você estava buscando.

Acompanhe Gabriel Jardim nas redes sociais
Instagram // Twitter // Youtube

Leiam também
Os super-heróis do rap
Design e funk se juntam no “Modernismo Funkeiro”

Comentários