Guarda-chuvas lotam os bailes

Comportamento 30/08/2018

Foto por: Jeferson Delgado // Portal Kondzilla

Quem nunca colou em algum rolê e avistou aquele guarda-chuva lá no meio? Ou estava perto de alguém que estava usando o kit pra fazer vento, ou dançando com o guarda-chuva no ritmo da música? Essa ideia de levar o acessório pro rolê não é de hoje, foi por conta de um típico estilo de rolê e a admiração por uma marca que essa moda surgiu. Vem com o Portal KondZilla que a gente te explica melhor.


Nitro Point – Mauá | Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Essa parada surgiu com duas combinações: Rave + Oakley. “Mas como assim”? Exatamente isso cara, lembra do bonde da Oakley? Se você não lembra, vou te ajudar: é aquele bonde com várias pessoas trajando os melhores kits da marca, sempre com alguém de colete, touca da medusa e a famosa umbrella da Oakley, aí que se inicia a tendência de levar um guarda-chuva de marca pro rolê.

“Antigamente começaram a usar nas raves, pequenos grupos de amigos, usavam para se proteger no sol e brincar fazendo vento e acabou viralizando em outras festas” conta Tony Cásper, colecionador de Oakley há 3 anos e criador da página Oakley Info Br, uma das maiores páginas de informações sobre Oakley em geral no Brasil.


Foto: Reprodução // Facebook

Na época o rolê do momento era as raves e os frequentadores desse rolê costumavam usar produtos da marca. A Oakley em si, nunca produziu o acessório, a empresa americana fundada por Jim Jannard terceirizou a produção do objeto.

As primeiras peças, lógico, que são as mais raras. Elas foram fabricadas pela empresa Haas-Jordan que tem seu o nome gravado nas etiquetas do guarda-chuva, as mais novas quem fabricou foi a empresa Shedrain, que tem o nome gravado nos cabos. Não se engane não, o nome umbrella é apenas a tradução em inglês, muita gente acha que é o nome oficial do guarda-chuva da Oakley, mas não. Na real é, porque na gringa fala umbrella, mas não é também. Entendeu?


Quermesse do Morro – Embu das Artes | Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Tem mais gente nessa fita que invadiu os bailes, não é apenas a marca do O que possui em suas produções. Outras marcas presente nos kits dos bailes tem também, tipo: Red Bull, Mizuno, Nike, Lacoste, Wilson e Under Armour, todas fabricam – com a opção de guarda-sol também. Outra parada interessante pontuar é que o guarda-chuva não foi desenvolvido para levar para o rolê, por conta de serem marcas esportivas, o uso do acessório era pra proteger o jogador de golf do sol enquanto aguardava a tacada do adversário e também parada eventos de Moto GP.

“Tá de guarda-chuva no baile é um charme, do meu bonde quem tem sempre leva, pra ficar fazendo vento, não tem um motivo específico, a gente leva por gostar do acessório” conta Vitinho, frequentador assíduo dos fluxos e também um dos administradores da página Oakley Info BR.

O objeto nos bailes virou algo característico, qualquer baile que você for, terá alguém com um na mão, fazendo vento, dançando conforme o beat ou parado roubando a cena mesmo. Ah sim, no fluxo.


Baile do Bega – Paraisópolis | Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Então é isso meus caros, a moda é REALMENTE encostar no fluxo de guarda-chuva pra tirar uma onda mesmo. Se der ruim e chover, você tá protegido. Senão, faz um vento pra gata e sai chave na foto. Você também cola com o objeto no rolê? Deixo nos comentários uma foto.

Acompanhe a Kondzilla nas redes sociais:
Facebook // Instagram // Twitter // Youtube

Leia também:
Nitro Point, o baile dos bailes
Saiba mais da família “X-Metal” da Oakley, berço dos modelos Romeo, Mars e Juliet

Comentários