Saiba como identificar uma fake news

Tecnologia 23/08/2018

“Por que vi na internet que a Lua é maior que a Terra”. Não, gente. Se tá na internet, não quer dizer que é verdade. Tem muita informação verdadeira, mas também tem muitos boatos e opiniões. De uns tempos pra cá, conhecemos uma palavra nova no dicionário: fake news. Em tradução literal, essa palavra significa “notícia falsa”. Porém, ela engloba muito mais coisas e vem causando muita dor de cabeça no Brasil e no mundo. Mas você já tá ligado o que é uma fake news?! O Portal KondZilla te explica um pouco melhor o que é essa parada pra você ficar ligado e entender o que tem acontecido.

Uma fake news é, de maneira clara e sucinta, um fato inventado para manipular uma informação em prol de um grupo. Ela também pode ser uma opinião confundida com um fato jornalístico. Um fato é um acontecimento narrado de forma impessoal, uma opinião é uma visão pessoal sobre um fato. É nesse momento que se confunde o que de fato aconteceu com uma visão de alguém sobre o que aconteceu.

Sabe quando você troca de carro e os zé povinho já fala que você recebeu um aumento no trabalho e comprou o carro a vista, deixando de pagar os parças que te venderam uns panos fiado?! Então, isso é uma espécie de fake news. O fato aqui é: você trocou de carro. A fake news é: a vista porque recebeu um aumento e não quis pagar os parças. Nesse caso, para saber realmente o que aconteceu, o ideal seria procurar por mais fontes, ou, perguntar direto pra você o que aconteceu.

Agora, imagina isso divulgado lá no Facebook, com geral compartilhando e você se nem ter tempo pra se defender. Já pensou a proporção que isso pode tomar?


*Foto por: Flickr // Gage Skidmore

De maneira geral, o termo fake news ganhou notoriedade recentemente. Em 2017, ela foi eleita “a palavra do ano” pelo dicionário Collins, que serve de referência para todo o mundo, ganhando inclusive um verbete no livrinho de palavras. Tudo isso muito graças ao atual presidente americano, Donald Trump, que naquele ano, durante a corrida presidencial, fez questão de repetir que era perseguido pela imprensa que utilizava das fake news.

No Brasil, os casos de fake news já causaram diversos transtornos – inclusive mortes. Um dos casos mais emblemáticos foi a morte de Fabiane Maria de Jesus, em 2014. Confundida com uma sequestradora de criancinhas, ela teve sua foto divulgada em grupos do zapzap e comunidades no Facebook. Resultado: ela foi assassinada a pauladas por moradores da comunidade onde vivia, no Guarujá.


*Foto por: Reprodução // Wikimedia

De lá para cá, muitas notícias falsas tomaram conta das redes sociais pelo Brasil. Durante a greve dos caminhoneiros, por exemplo, tava rolando uma corrente no WhatsApp dizendo que se a greve durasse mais de sete dias, o Exército tava liberado pra fazer uma intervenção militar, segundo a Constituição. Uma rápida procurada no Google e essa teoria caía por terra, pois essa parada não existe. Mas esse tipo de invenção faz com que o caos fique ainda maior – favorecendo quem ganha com essa bagunça toda.

Mas como saber o que é uma fake news? Por aqui existem alguns canais que trabalham com checagem de dados e fatos, que é o caso da Fato ou Fake, do Grupo Globo, Truco, da Agência Pública, Lupa, do Grupo Folha e Checazap, da Agência ÉNois. Esses sites são especializados em verificar se aquele fato, notícia ou declaração é verdade. Pode dar trabalho, mas te damos uma mão com algumas dicas para fazer esse trabalho sozinho:

1 – Desconfie de tudo e todos, sempre questione;
2 – Procure por fontes confiáveis. Uma notícia de um grande veículo é muito mais confiável do que uma corrente de WhatsApp do grupo da família;
3 – Aquela notícia tá colocando alguém num pedestal como um santo ou no fundo do poço como a pior pessoa do mundo? Algo de errado não está certo, hein?!

O caso de Fabiane deixa claro o quanto devemos estar atentos a tudo que vemos pela internet. Por mais crível e revoltante que seja, aquilo pode ser uma mentira e a gente pode tá cometendo uma injustiça com alguém. Talvez, uma injustiça irreparável.

Acompanhe a KondZilla pelas redes sociais:
Facebook // Instagram // Twitter // YouTube

Leia também:
Aprender uma profissão é só na faculdade?
Escola de Jornalismo abre inscrições para turma de 2018

Comentários