Tapa no vento é o passinho do momento

Dança 19/09/2018

Tudo vai e vem no funk: desde os sucessos que vêm um atrás do outro, até mesmo os movimentos corporais que são identidades do funk – os famosos passinhos. Uma novidade que está em alta nos bailes é o tapinha no vento e o Portal KondZilla te conta sobre esse novo fenômeno que está deixando o baile todo com a mão pra cima, tapendo o vento. Vai entender….

Repara: tá no baile, tocou um som ritmado, com certeza ao seu redor a galera automaticamente vai levantar a mão e reproduzir um movimento como se tivesse tapeando o vento. Não se sabe ao certo onde e como essa moda começou, nem quem foi o criador da novidade, mas o que se tem de certeza é que o novo passinho chegou nos principais bailes de São Paulo, como a DZ7, Bega e o Helipa. Ver aquele mar de gente com a mão pro alto e você fazendo a mesma coisa quase que sem pensar é uma sensação difícil de descrever.

Mas afinal de contas, o que é esse bendito tapa no vento? Bati um papo com a própria galera que está presente nos baile pra entender sobre esse novo passinho do funk paulistano.

#Melissa Araujo
“Desde outro baile que eu ia, já tinha esse negócio do tapinha e várias pessoas já faziam. Porém, ficou famoso mais por agora. A batida que mais estoura, que quando toca todo mundo faz [o tapa no vento], é “Tudo Put*“, do MC Maneirinho. Todo mundo faz, não tem uma pessoa que não faça. Em balada, tem pessoas que fazem em outras músicas também. Eu acho que esse negócio de tapinha no vento se tornou uma marca dos bailes”.

#Rick Moura
“Eu já fui na Nitro Point, na DZ7 e no Helipa. A primeira vez que cheguei na DZ7, vi a galera fazendo e perguntei o que era, me falaram que era o ‘tapa no vento’. Olhava pra baixo [na DZ7, que fica numa ladeira] e via todo mundo fazendo, fui no Helipa era todo mundo fazendo, na Nitro Point a mesma coisa. Depois que lançou a música do Dynho Alves cresceu mais ainda”.

#Melissa Santana
“O primeiro contato que eu tive com o tapa no vento foi com uma música do Dynho, só que essa música não ficou muito popular pra galera fazer o movimento. Depois, vi em um baile um DJ falando pra geral colocar a mão pro alto e dá um tapa no vento com a música “Tudo Put*”. A música ficou muito famosa e o passinho do tapa no vento também”.

#Bianca Campos
“O que fez o tapinha no vento explodir, ao ponto de fazer a galera trocar o copo de mão pra fazer o movimento, foi que os bailes da DZ7 e o Bega abraçaram a ideia, todo mundo desses bailes faz isso. São os bailes que mais explode, pode ter certeza. Você vai ver um mar de mão pra cima, balançando de um lado pro outro. Quando cê tá no baile ouvindo um beat que cê gosta e vendo todo mundo na mesma bala da mãozinha igual você, é inesquecível”.

#Gustavo Gomes
“O primeiro contato com esse movimento foi no Baile do Bega. Antes, eu saia pra outros bailes mas nunca tinha visto por lá. Foi algo inovador de se ver e se tornou uma febre, né?! Todo mundo no baile dando tapa no vento, eu acho isso bem engraçado. Quando solta um beat daora, o pessoal se contagia de uma forma que não tem explicação”.

#Johnatan Vieira (Hiiits)
“Então, parça. Em questão de música, têm aquelas que têm o pontinho que você já embraza, já entra no ritmo da música. Aí você já joga a mão pro ar e dá tapa no vento no ritmo da música. Muitas músicas já falam sobre dar tapa no vento, você só reproduz a ideia da música”.

#Wendel Barbiot (Wendel dos Fluxos)
“Tapinha no vento eu conheço de uma cota. Pra mim é o que?! É algo que quando eu tô muito louco ‘é tapa no vento e foda-se’. Estrala muito na DZ7, quando vem aquela música daora e toma tapa no vento. Vem de automático, você já sobe a mão e só tapa, só tapa”.

#Thaina Frutuoso
“A primeira vez que eu vi esse tal tapa no vento estava no baile do Jardim Jaqueline, aí todo mundo colocou a mão pra cima. Eu já tava animada e coloquei minha mão pra cima também. Acho que não tem um significado específico, é como se fosse uma expressão corporal, quando cê tá louco, olha o baile todo com a mão pra cima e só com tapa no vento”.

#Victor Eleoterio
“Tapa no vento é um negócio das antigas, porém viralizou só por agora, muito por influência do baile da DZ7 e algumas músicas como: “Versão Brasileira“, do MC Pierre, e “Posso te Empurrar“, do MC Arraia. Quando toca essas, o baile todo é só tapa no vento”.

#DJ Henrique de Ferraz
“Eu tava num baile meio bêbado, sem querer derrubei um copo e meu produtor veio brigar comigo, tá ligado. Daí eu virei pra trás e dei tipo um tapa no vento, pra ele sair pra lá. Quando eu olhei pra frente, tinha umas três pessoas fazendo também, aí continuei fazendo junto. Olhei beme a galera tava me imitando. Nem pensava no nome tapa no vento, tava só abanando mesmo, ai meu produtor chegou e perguntou: “que brisa é essa aí, tá dando tapa no vento?!”. Expliquei pra ele sobre a noite anterior, continuei fazendo e esse passinho foi pegando de um jeito né, tem música e tudo”.

Tapa no vento continua sendo algo que ninguém sabe explicar o que é ao certo ou quando surgiu, o que sabemos é que ele é o passinho atual dos bailes funk de São Paulo e faz embrazar. E você, já mandou esse passinho no baile?

Siga a Kondzilla pelas redes sociais
Facebook // Instagram // Twitter // Youtube

Leia também
As danças que marcaram o movimento funk
Existem diferenças entre os passinhos do Rio e de SP?

Comentários