“Uma reunião de amigos”, diz Devasto sobre “O Céu é o Limite”

Música 11/10/2018

Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Lembra que há uma cota contamos pra você que Mano Brown, BK’, Emicida, Djonga, Rincon e Rael tinham se juntado para gravar uma música? Então, esse trabalho foi lançado há alguns minutos! A música é uma união de três gerações do rap e deixou muita gente ansiosa. O Portal KondZilla trocou uma ideia exclusiva com o produtor e idealizador desse trabalho, o Devasto Prod., sobre tudo o que rolou e o que ainda podemos aguardar. Chega mais!

A ideia da união de grandes rappers junto com um produtor de peso vem com a visão de potencializar o produtor também, não somente os artista como acaba rolando na cena de um modo geral. Roger Costa, ou melhor, Devasto não é menino novo nesse game não. Com 18 anos de carreira, ele reconhece que “O Céu é o Limite” é seu trabalho mais importante.

“Acho que tem que ser dividido por igual os progressos. Lá fora sempre teve essa autonomia, mesma grana, mesmo reconhecimento e aqui no Brasil tem produtor foda que não tem estrutura”, diz Roger Costa, mais conhecido como Devasto Prod.


Devasto Prod.  – Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Sabemos que a ideia é uma pegada meio DJ Khaled, produtor gringo que já fez vários trabalhos reunindo grandes nomes. Trazendo para o Brasil é a mesma ideia que o WC no Beat trouxe em seu álbum 18K, por exemplo. Resumindo, Devasto visa dar visibilidades para todos com essa track, inclusive para ele que produz.

Agora a pergunta de R$1 milhão: como se deu a união dessa rapa toda? “Liguei pro Brown e falei que queria juntar os pretão pesado referência que a gente tem na cena atualmente. Comecei a citar os nomes e ele falou: Vamo embora!”, explica Devasto. “Fui ligando pra cada um e todos foram topando. Eu acompanho todo mundo desde o começo, a maioria acompanho há mais de 10 anos”.

O que podemos notar em comum entre essas três gerações do rap é que dos anos 90 até agora não mudou tanta coisa e esse projeto deixa isso mais nítido ainda. São 3 gerações brigando pela mesma causa, pelo menos propósito. “O que o Mano Brown e outros cara daquela época brigaram, BK’ e Djonga ainda estão brigando, não mudou muita coisa, irmão”.

Com todo mundo ciente e querendo participar do projeto, a união para bolar os planos e apresentar a batida se deu pelo famoso zapzap. Mas, com toda essa galera junta e misturada, óbvio que naquele grupo rolou de tudo, inclusive música. “Montei um grupo com todo mundo, explicando qual era a parada, o beat é esse, sempre trocando ideia e nas resenhas sobre vários assuntos”.


A banca toda reunida durante as gravações – Foto: Reprodução // Facebook

A captação da voz de alguns artistas foi enviada de estúdios em suas próprias cidades, principalmente no caso do carioca BK’ e do mineiro Djonga. Mano Brown e Rincon gravaram com Devasto em São Paulo, Rael gravou em casa e o Emicida fez o corre na sua própria produtora, a Laboratório Fantasma. E se você tá pensando que o beat foi produzido recentemente, aí que você se engana.

“Tava fazendo esse beat junto com o Brown para um trampo do Racionais há uns seis anos, mas deixei ele parado de rascunho. Acabei “reativando” ele de janeiro pra cá, chamei alguns músicos para algumas alterações e o resultado foi esse”.

O videoclipe teve algumas ideias do Devasto e a direção ficou por conta de Pedro Gomes. Como tudo nesse trabalho, a escolha não foi a toa. Pra quem não tá ligado, Pedro tem no currículo trabalhos com Emicida, MV Bill, Racionais MCs e é nome recorrente quando o assunto é audiovisual de periferia, inclusive sendo responsável pela direção do documentário “Freestyle – Um Estilo de Vida“.

“Ele fez mó corre por mim, chegou um momento desse projeto que eu tava sem grana, eu já ia convidar o Pedro e pagar ele, por toda representatividade e profissionalismo que ele trás e mesmo sem grana ele falou: vamos aí”.

A gravação do videoclipe rolou no estacionamento do Clube Atlético Juventus, na Mooca, SP. Eu tive a honra de assistir esse trabalho em primeira mão e para mim toda ansiedade vale a pena. A música veio numa pegada bem funk soul, que eu curto bastante, pegada que eu curto bastante também. E não adianta, o que mais chama a atenção nesse trampo é a união de tanto cara foda, é quase um dream team do rap, cê é loco!


Galera assistindo o videoclipe em primeira mão

Como citei bem no início do texto, Devasto tem como referencia DJ Khaled, sendo assim o projeto de unir diversos artistas de peso em uma única track não fica nesse som, o Produtor já está com alguns projetos quase finalizados e prontos para lançar na pista, diferente de “O céu é o limite”, Devasto tem como ideia unir artistas de diversos estilos, cantando estilos diferentes, um cantor de arrocha com uma banda de reggae, basicamente aquele feat que você jamais imaginaria tá ligado ? Esse será os próximos trabalhos de Devasto Prod. e segundo ele até o final do ano tem coisa nova na pista, e pode nos adiantar que terá um som entre MC Dede, Luccas Carlos e está em busca de uma terceira voz para fechar o som com chave de ouro.

A ideia geral do projeto é passar mensagem, principalmente para os mais novos, que devemos acreditar no seus sonhos independente da quebrada que você veio e qual situação se encontra hoje, que não existe limite para você.

“O nome do projeto já diz tudo: o céu é o limite. Você não vê uma parede dividindo você e o seu semelhante, eu quero que as crianças, a molecada e quem assista e ouça esse projeto entenda que ele é para tirar barreiras do cérebro das pessoas. Os mais velhos que moram na favela têm medo até de reformar a casa por causa dos ladrões, ou seja, colocou um teto naquela vontade, colocou um limite”.

Acompanhe Devasto pelas redes sociais
Facebook // Instagram // Youtube // Soundcloud

Acompanhe a KondZilla pelas redes sociais
Facebook // Instagram // Twitter // Youtube

Leia também
MC Dede e Mano Brown se encontram para trocar uma ideia sobre música
É rap ou é funk? É WC no Beat com o álbum 18K

Comentários